DIARIO DA ILHA: AGORA: Tentaram matar mais um prefeito no Maranhão. POR LIMA K LIMA

.

.

domingo, 2 de dezembro de 2018

AGORA: Tentaram matar mais um prefeito no Maranhão. POR LIMA K LIMA

Urgente! Policial Militar atira e tenta assassinar ex-prefeito José Leane de Afonso Cunha (MA).
Agora á pouco na tarde deste domingo dia, (02), o Policial Militar identificado por Graciliano acaba de atirar com uma pistola ponto 40 contra o carro do ex-prefeito de Afonso Cunha José Leane. Segundo áudios divulgado em grupos de WhatsApp o carro do atual prefeito Arquimedes Bacelar fechava a caminhonete do ex-prefeito numa estrada vicinal da localidade Capim, para que o PM, que pilotava uma moto com a pistola em punho se aproximasse para atirar. Testemunhas contam que uma pessoa gritou que o ex-prefeito estava acompanhado de pessoas, inclusive idosas, mas o policial disparou diversos tiros, que por milagre não acertaram o ex-prefeito/ou os ocupantes do carro. Em outro áudio, uma testemunha afirma que Arquimedes dava cobertura para o PM e sustenta que o prefeito deu fuga para o elemento em sua caminhonete. Em contato com o ex-prefeito Leane, o mesmo confirmou o que as testemunhas narraram e encontra-se em estado choque.

2 comentários:

  1. NOTA

    Sobre as acusações caluniosas do ex-prefeito José Leane divulgada em rede social neste domingo (02) e amplamente massificada em blogs do Estado em que acusa o prefeito Arquimedes Bacelar de ter tramado o seu assassinato dentre outros absurdos é necessário esclarecer o que abaixo segue:

    1. Existe um problema antigo do ex-prefeito José Leane com o policial Graciliano, cujo atrito já dura 5 anos. No exercício da função de prefeito, Leane comprava combustível com ele para a prefeitura e ficou devendo cerca de R$ 300 mil reais. Como a venda era avulsa e sem contrato, ele acabou ficando no prejuízo e o ex-prefeito nunca pagou o que devia. O assunto é de conhecimento público e a cidade inteira sabe disso;

    2. Na tarde deste domingo (02), ao retornar de um aniversário onde os dois participavam, houve essa cobrança que acabou gerando um clima animoso entre os dois. A presença da Polícia Militar no evento não era à toa, pois um taxista por nome Flávio já havia alertado tanto o ex-prefeito, quanto a própria PM que o policial estava revoltado com a situação e que poderia haver um desentendimento;

    3. Ao falar que tranquei ele com meu carro, há uma má fé na afirmação, já que por está na frente em meu veículo com vidros fechados em decorrência da poeira não sabia o que estava ocorrendo atrás. Só me situei do acontecido quando um rapaz apelidado de Jiló chegou próximo ao carro, fez sinal para que eu encostasse, foi quando puxei o carro para que ele pudesse ultrapassar;

    4. Na verdade o ex-prefeito está se aproveitando do fato para tirar a responsabilidade de si e jogar para mim que nada tenho haver com o episódio e muito menos com o histórico de dívidas feitas por ele;

    5. Ao dizer em sua nota que a Polícia Militar não o ajudou ele falta com a verdade, pois a guarnição da PM não se manteve omissa, ao contrário, cumpriu o que era de sua competência fazer. Além de fazer a guarda do evento, a PM acompanhou a saída, conteve os ânimos e desde a hora do ocorrido fez a escolta do ex-prefeito até a saída da cidade;

    6. Quem acusa cabe o ônus da prova. Estamos nos valendo da nossa assessoria jurídica para levar o caso à justiça com a versão do ocorrido para que o ex-prefeito prove as acusações que a mim foram impostas, sob pena de responder judicialmente por elas.

    Arquimedes Bacelar
    Prefeito

    ResponderExcluir
  2. “ELE JÁ HAVIA FEITO UMA DENÚNCIA E DEPOIS RETIROU A QUEIXA”, DIZ ARQUIMEDES SOBRE EX-PREFEITO

    O prefeito de Afonso Cunha Arquimedes Bacelar (PTB), voltou a falar sobre as graves acusações impostas a ele pelo ex-prefeito José Leane (MDB).

    “É a história mais sem pé nem cabeça que já existiu e os próprios fatos colaboram para revelar quem está falando a verdade. A questão dele com o policial é antiga e eu não tenho nada a ver com essa história”, disse o prefeito.

    Em sua defesa, Arquimedes apresentou a cópia de um documento assinado pelo próprio ex-prefeito confirmando os desencontros dos dois.

    “Nesse documento datado 26 de agosto de 2016 o ex-prefeito compareceu ao Comando da 3ª Companhia da Polícia Militar para desmentir ele próprio, após as acusações que havia feito contra o mesmo policial. Ou seja ele denunciou o policial, abriu-se uma sindicância para apurar os fatos e ele foi na sequência e disse não haver interesse em dar continuidade no processo. No documento o próprio Leane retira a denúncia que fez e ainda disse que tudo não havia passado de mal entendido”, disse o prefeito.

    Arquimedes lamentou o fato de ter seu nome envolvido nesse episódio e reafirmou que está tomando as medidas cabíveis para esclarecer os fatos.

    ResponderExcluir