DIARIO DA ILHA: Pai de vice-prefeita entra na bala no Maranhão.

.

.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Pai de vice-prefeita entra na bala no Maranhão.

Pai da Vice-Prefeita de Igarapé Grande-MA. é assassinado a tiros.
O fazendeiro Geraldo Camilo da Silva, 59 anos, mais conhecido pelo apelido de “Geraldo Alagoano”, foi morto a tiros na tarde deste sábado dia (4), na zona rural do município de Poção de Pedras no Maranhão. Geraldo Alagoano era pai da vice-prefeita Dra. Diene, de Igarapé Grande (MA), município, onde a vítima residia na Fazenda Mururu; nesta tarde de sábado, acompanhado da mulher, ele se deslocou ao povoado Lucindo, para participar do casamento de uma sobrinha, na fazenda da irmã dele; por volta das 16h30, ele abriu a porta da camionete Hilux prata, placa de Pedreiras, quando dois homens se aproximaram e efetuaram cerca de três disparos de arma de fogo que alvejaram o idoso na região da cabeça. Após o crime, a dupla, ainda não identificada, fugiu em uma moto Bros. Geraldo Alagoano morreu no local e o corpo foi levado para o Hospital de Igarapé Grande, onde sua filha estava de plantão; a médica foi surpreendida com a chegada do corpo do pai. Ainda segundo informações, os dois comparsas que efetuaram os disparos, passaram o dia na comunidade do Lucindo, foram vistos inclusive na festa de casamento. "Eles foram vistos aqui, o dia inteiro, ninguém se preocupou; teve gente que viram eles atravessar a balsa no rio em direção a região hoje cedo", afirmou uma fonte. 

Circula informações que populares reagiram a execução do idoso e, ainda houve troca de tiros, mas não se tem informações de outros feridos. A polícia militar da região foi informada do assassinato pouco tempo depois e realizou diligências para identificar e prender os criminosos, porém, sem êxito até o momento. A polícia civil vai investigar o assassinato. Pelas características, a suspeita é de crime de encomenda (pistolagem). A imprensa esteve no Hospital de Igarapé Grande no momento em que o corpo estava sendo levado para a fazenda Mururu, local velório e ouviu o relato de uma testemunha que presenciou o assassinato. "A mulher dele desceu primeiro, eu ainda fiquei dentro do carro com minha criança de colo; estava estacionando o carro, quando eu ouvi o barulho, pensei que eram foguetes da festa, mas eram tiros, estavam mantando seu Geraldo", relatou uma senhora aos prantos no Hospital de Igarapé Grande. Dra. Diene a vice-prefeita de Igarapé grande e filha da vítima, chorava muito ao lado do caixão do pai e aos prantos indagava: “Por que fizeram isso com o meu pai, meu Deus? O meu pai, toda manhã, às 6, ele me ligava para saber como eu estava."

Nenhum comentário:

Postar um comentário