DIARIO DA ILHA: Passando o HIV em frente

.

.

domingo, 22 de março de 2015

Passando o HIV em frente

Fantástico revela detalhes do ‘clube do carimbo’, grupo formado por pessoas que transmitem o vírus da Aids de propósito.
Domingo passado (15), o Fantástico revelou detalhes do “clube do carimbo”, um grupo formado por pessoas que transmitem o vírus da Aids de propósito. Nesta semana, o programa encontrou novas vítimas desse grupo que age de forma criminosa. E perguntou às autoridades o que está sendo feito para identificar os chamados carimbadores.
Depois da confissão, a revolta de quem viu a reportagem de domingo (15) e foi vítima de um “carimbador”: de uma pessoa que transmite o vírus da Aids de propósito.
Uma dessas vítimas é vendedor, tem 32 anos e descobriu que era portador do HIV há quatro meses.
“Toda hora ia no médico, toda hora sentindo muito cansaço. Cheguei a perder em dois meses coisa de 13 a 14, 15 quilos”, conta o vendedor, que não quis se identificar.
Ele diz que frequentava uma sauna no centro de São Paulo e lá encontrou um homem, que não falou que tinha a doença. Eles não usaram camisinha.
“Eu fui carimbado contra a minha vontade. Não mudou só a minha vida. Mudou a vida de todo mundo que está a minha volta. Você acha que, de repente, encontrou uma pessoa bacana. Na verdade, essa pessoa está ali só pra te prejudicar”, diz o vendedor.
No domingo, o Fantástico mostrou como os carimbadores agem.
O Ministério Público já conseguiu identificar um dos carimbadores e nos próximos dias deve chamá-lo para prestar depoimento. Além de lesão corporal grave, os dois homens que confessaram transmitir o vírus de propósito também podem responder por outro crime: participar de organização criminosa.
É que os carimbadores costumam trocar mensagens em grupos secretos nas redes sociais. Também há páginas na internet que incentivam as pessoas a transmitir o vírus de forma intencional e ensinam como fazer isso sem o parceiro desconfiar.
“Vamos tentar localizar os administradores, os proprietários desses blogs, desses sites e vamos tentar tirar esses sites do ar, além de responder por incitação ao crime”, afirma o delegado Ronaldo Tossunian.
Vítimas de carimbadores já estão procurando a polícia para denunciar.
“Estamos localizando os autores através de vítimas que têm nos procurado e a partir delas vamos atrás dos autores pra tentar provar que aquele indivíduo foi responsável por passar, transmitir o vírus para aquela vítima”, conta Ronaldo Tossunian.
O Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, é um hospital de referência no tratamento da Aids. Atende hoje 6,5 mil portadores do vírus.
“A maior parte dos pacientes portadores de HIV são extremamente conscientes e preservam não só a saúde própria como dos próximos”, explica Jean Gorinchteyn, médico do Instituto Emilío Ribas.
O médico diz que os carimbadores fazem parte de um grupo restrito.
“Clube do carimbo acaba acontecendo principalmente pra aqueles indivíduos que não fazem o tratamento e que ainda mantém o estigma de revolta dizendo: ‘Como eu fui contaminado sem ser informado, assim eu vou fazer para outras pessoas’”, conta Jean Gorinchteyn.
Um militar, de 33 anos, tem certeza que contraiu o vírus do ex-namorado.
“Eu falava que eu tinha medo de ser contaminado. Ele falava: ‘não, eu não tenho nada’”, lembra o militar, que não quis se identificar.
Ele diz que duas pessoas também foram infectadas de propósito pelo seu ex-parceiro.
“Essa pessoa age na região, desta forma, usando as pessoas, passando o vírus sem qualquer pudor, sem qualquer medo de punição”, afirma o militar.
“Nunca tirem o preservativo das relações antes que ambos tenham feito realmente um teste sorológico para garantir que não haja positividade seja de um, seja de outro”, diz Jean Gorinchteyn.
“Conheça com quem você está. Um minuto da sua vida, você pode se arrepender para o resto da sua vida. Porque não é fácil conviver com o vírus”, alerta o militar.

Patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário