DIARIO DA ILHA: Fraude no Maranhão

.

.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Fraude no Maranhão

Fraude no seguro defeso ocorreu em vários municípios 

Esta semana a Polícia Civil do Maranhão desencadeou a Operação ‘Peixe Grande’ que consiste na investigação em colônias e sindicatos dos pescadores espalhados em diversos municípios e que nos últimos anos registrou um aumento significativo e irregular no número de associados. As fraudes garantiram o seguro defeso e outras vantagens para milhares de pessoas que nada tem a ver com a atividade pesqueira.

Nesta ação policial realizada na última quarta-feira (4) na cidade de Viana, onde existem 12 mil pescadores cadastrados, foram apreendidas carteiras, computadores, celulares, veículos, dois revólveres e uma quantia de mais de R$ 16 mil. Na ocasião foram presos o ex-presidente do Sindicato dos Pescadores de Viana, Antônio de Inês, a filha Adriana Pinheiro, atual presidente do Sindicato de Viana, o irmão Antônio Marinho e Inês Pinheiro. Também foram recambiados Márcio Júnior e Luis Alberto Mendes.

A quadrilha que está sendo investigada é acusada de desviar R$ 5 milhões do Seguro Defeso na região de Viana. Mas as falcatruas não e restringem somente a esse município. Em várias outras localidades os golpes estão sendo praticados e pior, em algumas nem lagos existem, imagina ‘peixe’.

Em Monção, por exemplo a farra é grande. Segundo informações repassadas ao Blog, o ‘Nonato do ônibus’, que é presidente do sindicato dos pescadores, por conta de esquemas fraudulentos, sumiu da cidade há algum tempo.

Em São Vicente Férrer, Cajapió e São Batista são inúmeros os associados e as fraudes também.

Em Anapurus a prática é a mesma. Pescadores que não pescam em lugar algum tem registro certo e recebem benefícios.

Em Grajaú exitem mais de 2500 pescadores cadastrados recebendo o Seguro Defeso. Mas desse total, nem 20 vive da pesca, aliás o Rio Grajaú nem peixe tem.

Em Vitória do Mearim, somente na colônia são mais de 4500 associados, sem falar pelo sindicato e associação. Dizem que o atual presidente da colônia de pescadores do município está construindo uma mansão.

Em Pedreiras além de empresários, até um pastor estaria recebendo o benefício do Seguro Defeso.

Em Itinga não tem 10 pescadores de fato, no entanto tem mais de 1000 cadastrados.

Em Bacabeira são inúmeras famílias que recebem o seguro e nunca souberam o que é pescar. Tem até dono de comércio filiado na colônia de pescadores.

Em Joselândia, após reunião com os mais de 200 sócios da colônia de pescadores houve até divisão de dinheiro.

Em Alto Alegre do Pindaré se instalou uma quadrilha que seria de Bela Vista. Segundo denúncias, há participação de vereadores e deputados que cadastraram filhos e até parentes mortos que recebem o seguro. Um verdadeiro absurdo!

Em Centro Novo do Maranhão e Tutóia também há irregularidades que devem ser investigadas.

Em Pio XII tem empregada doméstica, carroceiro, pedreiro, dona de casa e outros, recebendo o benefício. A máfia por lá seria comandada pelo vice prefeito Edmundo Pescador.

Em Pindaré-Mirim tem uma quadrilha instalada e o sindicato dos pescadores estria nadando em dinheiro oriundo da fraude.

Em Santa Luzia do Paruá e Miranda do Norte há mais pescadores do que eleitores.

Enfim, todos os municípios, citados ou não, devem passar por uma malha fina e muitas falcatruas ainda devem ser descobertas envolvendo ‘peixes grandes’.

Patrocínio 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário