DIARIO DA ILHA: O Pau fechou na Assembléia

.

.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O Pau fechou na Assembléia

PMDB rejeita proposta de ‘vetar’ Humberto Coutinho na Assembleia
A Executiva Estadual do PMDB, reunida na manhã desta quarta-feira (21), rejeitou a proposta de lançar uma nota oficial anunciando ‘veto’ à candidatura do deputado Humberto Coutinho (PDT) à presidência da Assembleia Legislativa do Estado.
Durante o encontro, realizado na sede do partido em São Luís, a proposta foi enfaticamente defendida pelo ex-secretário de Saúde Ricardo Murad e pela sua filha, a deputada eleita Andrea Murad. O deputado Roberto Costa, que defende a ideia de que a bancada do PMDB faça uma composição com Humberto Coutinho para ocupar espaços na futura Mesa Diretora da Assembleia, acabou entrando em confronto direto com Ricardo Murad.

“O pau fechou, e fechou porque não faz sentido, a esta altura do campeonato, a gente querer dar murro em ponta de faca”, afirmou Roberto Costa, Ele explicou que Ricardo Murad, logo no início da reunião, passou a defender a tese de uma candidatura independente do partido, mesmo que fosse para perder. E que o PMDB apresentasse um comunicado à imprensa, por meio de nota oficial, anunciando ser contra a candidatura de Humberto Coutinho à presidência da Assembleia.

Roberto Costa manifestou-se radicalmente contra a proposta de Ricardo Murad. “Só para marcar posição, isto não existe. E fazer veto só por fazer, isto também é um absurdo. Não se faz política assim”, argumentou Roberto Costa, que ganhou na reunião apoio explícito do atual presidente da Assembleia, Arnaldo Melo, que também defende que o PMDB, em razão de sua força política, busque um legítimo espaço na futura Mesa Diretora.

BATE BOCA – O confronto entre Ricardo Murad e Roberto Costa acabou se transformando em dura discussão. Foi o primeiro encontro da cúpula do PMDB do Maranhão, convocado para tratar do posicionamento do partido em relação ao Governo do Estado, começando pela eleição para a presidência da Assembleia Legislativa. Para Ricardo Murad, o grupo ainda liderado pelo senador José Sarney deve formar uma chapa com PMDB, PV, PTN e DEM e, desta forma, assegurar o lançamento de uma candidatura alternativa à de Humberto Coutinho, que conta com o apoio do governador Flávio Dino (PCdoB).

Ricardo Murad, que pretendia também a emissão de uma nota de veto à candidatura de Humberto Coutinho, saiu zangado porque suas propostas não foram aprovadas e ainda acusou Roberto Costa de ser contra elas por já haver fechado acordo para votar em Coutinho.

A reunião desta quarta-feira, presidida pelo senador João Alberto, contou com a presença de Remi Ribeiro (vice-presidente), Carlos Couto (secretário geral), do deputado federal Sétimo Waquim, dos deputados estaduais Roberto Costa, Ricardo Murad e Arnaldo Melo (presidente da Assembleia Legislativa) e da deputada estadual eleita Andrea Murad.

PRÓXIMA REUNIÃO–
A ideia de o PMDB abrir diálogo com o grupo de Humberto Coutinho para ocupar espaço na futura Mesa Diretora da Assembleia deverá ser discutida em uma outra reunião, ainda nesta semana, segundo informou Roberto Costa.

Ele insiste na ideia de que, se o partido não tem condições de sustentar uma candidatura competitiva à presidência da Assembleia, que faça uma composição com Humberto Coutinho. A próxima reunião deverá ter a presença dos deputados peemedebistas Andrea Murad, Roberto Costa, Nina Melo e Max Barros.

"Andrea Murad diz que compor com Humberto implica apoiar Flavio Dino."

A Deputada eleita Andrea Murad criticou o posicionamento defendido pelo deputado Roberto Costa. Como seu pai, Ricardo Murad, ela defende a ideia de que o PMDB deve se juntar a outras forças no Plenário e lançar um nome próprio à presidência da Assembleia Legislativa.

“Eu defendo que o PMDB, junto com os demais partidos que apoiaram o nome de Lobão Filho para governador do Estado, deve construir uma candidatura própria na Assembleia. Os deputados do nosso grupo, unidos, têm condições de disputar e até mesmo ganhar esta eleição. Este é o meu posicionamento. Ou seja, compor com Humberto Coutinho implica apoiar Flávio Dino. E não tem porque o PMDB fazer qualquer tipo de aceno para este governo”, declarou a deputada.

Ela explicou que, no seu ponto de vista, o PMDB deve ter um perfil muito claro de oposição ao governo Flávio Dino. A próxima reunião, segundo ela, deverá ter também a participação dos deputados Nina Melo e Max Barros, que não compareceram ao encontro desta quarta-feira.

“Agora, se os deputados da nossa bancada decidirem que deve haver composição com Humberto Coutinho, aí então eu vou passar a ter uma postura independente na Assembleia. Acho que este é o mesmo pensamento de Lobão Filho, Ricardo Murad e até mesmo do senador José Sarney”, argumentou Andrea Murad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário